Aberto do Chile: Lucas e Lauren terminam em 4º e 6º entre os juvenis

04/12/2017

Dupla brasileira ficou em sexto. No torneio profissional, Felipe Aguilar venceu Guillermo Pereira no playoff

 

Os juvenis paulistas Lucas Park, do Paradise, e Lauren Grinberg, do Lago Azul, terminaram em quarto e sexto lugares, respectivamente, no 91º Aberto do Chile – Campeonato Internacional de Duplas Mistas, jogado de quinta-feira a domingo, 30 de novembro a 3 de dezembro, no campo do Sport Francés, em Santiago. Na competição profissional, Felipe Aguilar, o profissional chileno mais bem colocado no ranking mundial (445º) e membro do Tour Europeu, foi campeão ao derrotar, no playoff, Guillermo Pereira, 481º do ranking mundial, que joga no Web.com Tour.

Lucas, atual campeão brasileiro juvenil, e Lauren, a número 1 do ranking brasileiro, não subiram ao pódio, mas de destacaram na competição. Lucas, por ter liderado o torneio juvenil depois de jogar 69 (-3) no segundo dia, quando fez o terceiro melhor resultado da rodada, entre todos os participantes, incluído os profissionais (dois deles jogaram 68 na sexta-feira). Lauren por ter integrado a equipe campeã scratch do Pro-Am de quarta-feira, ao lado de Juan Cárdenas, Martín León e Solange Gómez, com 63 tacadas.

Brasileiros – Lucas somou 299 (75-69-79-76) tacadas, 11 acima do par, para ficar em 24º na classificação geral do Aberto do Chile, e em quarto na categoria juvenil, vencida por Carlos Ruiz-tagle Marinetti, com 286 (71–73-68), duas abaixo. Agustín Errázuriz Allendes, com 287 (71-75-70-71) e Benjamin Saiz-wenz Wenz, com 295 (73-73-73-76) completaram o pódio. Os três são chilenos.

Lauren somou 311 (78-79-75-79) tacadas, 23 acima, para ficar em sexto no torneio juvenil, que teve no pódio a venezuelana Valentina María Gilly Lora, com 288 (70-70-75-73), a paraguaia Viviana Prette Reyes, com 299 (73-79-75-72), e a chilena Sofía Morgan Birke, com 303 (74-75-76-78). Nas duplas mistas, o Brasil ficou em sexto, com 455 tacadas. Venceu o Paraguai, com 438, no desempate com o time A do Chile. O time B do Chile ficou em terceiro com 444. A seguir, ficaram Venezuela, com 450, e Colômbia, com 451. Atrás do Brasil terminaram três equipes de clubes locais e o Uruguai, em décimo e último posto.

Profissionais – Aguilar conquistou o bicampeonato do torneio que valeu também como última classificação para a final da Série de Desenvolvimento do PGA Tour Latinoamérica, ao somar 279 (68-71-71-69) tacadas, nove abaixo, mesmo resultado de Pereira (73-70-66-70), com quem travou um duelo equilibrado até o buraco final e só superou no desempate. Horacio Leon ficou em terceiro, com 281 (72-68-70-71), seguido por Juan Cerda, com 282 (69-69-73-71).

Entre os amadores, venceu o paraguaio Gustavo Silvero, com 284 (68-70-73-73), quatro abaixo. Ele foi também o campeão das Duplas Mistas ao lado de Viviana Prette, vice-campeão juvenil. Para esse torneio valeu a soma dos resultados dos três primeiros dias. A campeã amadora feminina foi a venezuelana Valentina Gilly, com 288.

Lucas e Lauren viajaram com apoio da Confederação Brasileira de Golfe (CBG) e do Comitê Olímpico do Brasil (COB), com recursos da Lei Agnelo Piva.

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Turismo

    Golfe e Música em Trancoso: reserve já e não perca os mais concorridos torneios do ano

  • Golfe 2016

    Jogos do Rio 2016: seis medalhas para seis países diferentes coroam o sucesso do golfe olímpico


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados