Aberto do São Paulo: jogadores locais surpreendem melhores do país no torneio do ranking mundial

16/10/2021

Mariano Barreto abriu duas de vantagem e joga a volta final ao lado de Marcelo Gullo e Lucas Park

Barreto (acima) lidera aberto do clube de golfe mais antigo do Brasil. Gullo (abaixo) capitão do clube, garante vaga no pelotão. Fotos: Thais Pastor/F2 Assessoria

Conhecimento do campo é importante, mas ver amadores locais superando ou jogando de igual para igual com muitos dos melhores amadores do Brasil é coisa rara. Só que foi isso o que aconteceu neste sábado, 16 de outubro, na segunda das três rodadas do 76º Aberto do São Paulo Golf Club, torneio válido para o ranking mundial amador de golfe (WAGR), que terminou com o local Mariano Barreto liderando com duas tacadas de vantagem sobre Marcelo Gullo, o Lirão, capitão do clube, e Lucas Park, do Paradise, número 3 do Brasil e primeiro jogador de alto rendimento no topo do placar.

Andrey Xavier, número 1 do ranking nacional e brasileiro mais bem colocado do ranking mundial, hoje Top 100 do mundo, precisou jogar três abaixo do par e melhor volta da semana até agora, para aparecer em quatro, três tacadas atrás do líder, ao lado de Victor Maciel dos Santos, do Alphaville, outro dos favoritos do torneio. Matheus Park, do Paradise, irmão mais novo de Lucas e número 2 do Brasil, que era o líder da véspera, vem apenas em sexto, cinco atrás do líder, empatado com outros dois jogadores locais: o sênior Luiz A. P. Almeida, o Gugu, de 61 anos, e Walter Mantovanini Neto, o Tito, que já venceu o Aberto de seu clube, mas em 2008, quando estava no auge da carreira.

Tropeços – Andrey, que vem de três vitórias consecutivas em torneio do WAGR, mas jogou 80 tacadas, nove acima do par, no primeiro dia, reclamando de dores nas costas, para estrear em 20º, foi outro jogador neste sábado, depois de uma sessão de massagens. Ele fez cinco birdies nos 11 primeiros buracos do campo e era líder antes de devolver tacadas no 16 e no 18, este com três putts e terminar com 148 (80-68) tacadas, seis acima do par.

Lucas Park, que começou o dia em segundo, uma atrás do irmão, jogou três abaixo nos três primeiros buracos, com direito a um eagle-3 no buraco 3, onde colocou a segunda no green e também esteve na liderança durante a volta, antes de devolver cinco tacadas nos sete buracos finais e terminar com 147 (72-75), cinco acima. Matheus, líder da véspera, abriu o sábado com um birdie, mas jogou quatro acima em cada metade do campo, para somar 150 (71-79), oito acima.

Surpresas – Com os três melhores jogadores do Brasil tendo dificuldades, os “local players” se encheram de razão. Mariano Barreto, que é novo no clube, mas tem treinado muito, fez cinco birdies na rodada, para jogar o par do campo e liderar com 145 (74-71), três acima do par e duas à frente dos adversários. Gullo, que sempre jogou no São Paulo, por sua vez, fez quatro birdies para ser vice-líder com 147 (72-75), empatado com Lucas. Não por acaso os dois jogadores com mais birdies na semana são Mariano, com sete, e Gullo, com seis.

Victor Maciel, que começou o dia em terceiro, só fez um birdie na rodada, no buraco final, para ainda terminar em quarto, com 148 (73-75), empatado com Andrey. Gugu também só fez um birdie na rodada, no buraco 1, para cair do terceiro para o sexto lugar, com 150 (73-77), ao lado de Tito e Matheus. Destaque ainda para Mario Ghisalberti, de 55 anos, líder do ranking sênior nacional, que fez dois birdies para jogar 73 (+2), terceiro melhor resultado do dia, mas o suficiente apenas para ficar em 15º lugar no placar.

Handicaps – Na classificação por handicaps índex até 8,5, Mariano também é líder, com 137 (70-67) tacadas, mas empatado com outro sênior, Fernando Barreto, do Clube de Campo. Em terceiro, com 140 (71-69), vem Luiz Arthur Caselli Guimarães Filho, do São Paulo, ex-presidente da Federação Paulista de Golfe e da Confederação Brasileira de Golfe. Rogerio Cardoso, do Damha, em loco atrás, com 142 (70-72).

Na 8,6 a 14, não houve mudanças nos Top 3, todos do São Paulo, com Luiz Srur liderando com 133 (64-69) tacadas, nove abaixo do par, seguido pelo filho, Christopher Srur, com 138 (66-72). Mario Najm Fº, vem em terceiro, com 139 (68-71), liderando uma disputa paralela por um lugar ao pódio, que tem ainda Fábio Negrão, do São Paulo Futebol Clube, com 140 (70-70); e três jogadores com 143: Cássio Filizola, do Clube de Campo (73-70); Marcelo Semeoni, do Quinta da Baroneza (74-69); José Ulpiano Souza Fº, do São Paulo (71-72); e Mark Myers, do São Paulo (69-74).

Na 14,1 a 19,4, a decisão também promete ser apertada. David Ming, do São Paulo, lidera com 140 (70-70), seguido por Richard Lati, do Quinta da Baroneza, com 141 (71-70); Marcelo Fonseca, da Associação Esportiva São José, com 142 (74-68); e por dois jogadores do São Paulo, com 143: Rinaldo Pirro Jr. (71-72) e Flavio Maschietto (72-71).

Corte – Como previsto no regulamento, houve cortes em todas as categorias para a rodada final, neste domingo. Assim, o primeiro grupo de três jogadores começará às 7h54, e o grupo dos líderes, com Mariano, Gullo e Lucas, às 10h27. Com isso, espera-se evitar as chuvas previstas para a tarde, que não passaram de ameaça neste sábado, só chegando no final do dia, em forma de garoa fina.

O 76° Aberto Amador do São Paulo Golf Club tem patrocínio do BTG Pactual, Sportsbet.io, TechnoGyn e Coca-Cola Femsa Brasil. A organização é do São Paulo GC, com supervisão da Confederação Brasileira de Golfe e da Federação Paulista de Golfe e apoio do R&A, como competição válida para o WAGR.

Resultados completos e horários de saída

 

 

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Turismo

    Aproveite o acordo entre a Pousada Travel Inn Trancoso e o Terravista Golf Course

  • Golfe 2016

    Jogos de Tóquio: Nelly Korda leva susto, mas vence por uma e dá aos EUA seu segundo ouro no golfe


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados