Apesar de trapalhada da USGA sobre Regras, DJ vence US Open, seu primeiro major

20/06/2016

Penalidade no buraco 5, só conformada no final, apenas reduziu sua margem de vitória

 

por Ricardo Fonseca

A USGA (United States Golf Association) que divide com o R&A a reponsabilidade de manter, atualizar e fazer aplicar as Regras de Golfe provocou uma trapalhada que prejudicou Dustin Johnson nos 13 buracos finais do US Open, no Oakmont Country Club, que ele jogou sem saber se seria penalizado ou não por um incidente acontecido no buraco 5, mas que só foi decido que ele entregou o cartão. Para quem viu suas chances de vencer o primeiro major, em 2010, no PGA Championship, por causa de outra trapalhada, daquela vez do PGA of America, a demora da USGA foi um grande peso a atrapalhar a concentração de DJ nos momentos mais delicados do jogo. Felizmente, a penalidade de uma tacada aplicada no final não o impediu de superar Shane Lowry, Jim Furyk e Scott Piercy por três tacadas e levantar o mais importante troféus dos 1o que ganhou no PGA Tour.

Emocionado com o título que buscava há tantos anos, DJ tinha mais sobre o que falar no final do jogo e desconversou. “Isso não importa mais agora”, disse. Mas dezenas de jogadores saíram em defesa do campeão em seus twittes, criticando abertamente a USGA. Rory McIlroy, Rickie Fowler, Jordan Spieth e até Tiger Woods, usaram termos duros sobre a ação – ou falta dela – da USGA: “Rídiculo”, “risível”, “piada” e “farsa” foram, pela ordem, os adjetivos que quatro dos jogadores mais importantes do mundo escolheram para reclamar da entidade.

Incidente – Tudo começou no green do 5, quando DJ tinha um putt de dois metros para par. Após duas tacadas de prática perto da bola, DJ tomou seu stance e ia colocando a cabeça do putt atrás da bola, quando ela se moveu milímetros para trás. DJ imediatamente retirou o taco, chamou um árbitro e contou o que havia acontecido. Perguntado, DJ disse que não encostou o taco no chão e o árbitro disse que ele continuasse a jogo, sem voltar a bola, assumindo que o jogador não causara o movimento.

Mas depois de rever o vídeo do incidente, Jeff Hall, diretor de competições da USGA, foi ao encontro de DJ no buraco 12 e lhe explicou que ele poderia ser penalizado. O problema é que a penalidade de uma tacada (a segunda, por não ter feito o gesto simbólico de retornar a bola, que mal se moveu, para o local original não se aplicava por DJ ter jogado sob orientação do árbitro) só foi aplicada no final do jogo, num momento crucial em que DJ duela pelo título.

Regra – “Ele encostou o taco no chão e de acordo com a Regra 18-2 a penalidade é clara” disse Mike Davis, diretor executivo da USGA. “Ele encostou o seu taco no chão atrás da bola e quando você revê o vídeo isso fica claro”, explicou. O problema é que assegurar que DJ provocou o movimento da bola em greens rápidos como vidro, com velocidade de 14 pés no Stimpmeter, num green cheio de movimento, é no mínimo uma temeridade.

Se Johnson cometeu uma violação ficou mais complicado de ser decidiu sobretudo depois da edição 2016 das Regras de Golfe. Na edição anterior, a Regra 18-2b (bola em movimento depois de tomar o stance), um jogador teria automaticamente a penalidade de uma tacada se a bola se movesse. Mas a nova Regra 18-2, diz que um jogador só será penalizado se os fatos mostram claramente que ele provocou o movimento da bola. “O nosso oficial de regras perguntou se ele havia encostado o taco no chão e ele disse que não”, disse Davis. “Mas ele encostou o taco e por isso foi penalizado”

Ao mesmo tempo em que notificavam DJ da possível penalidade, os árbitros da USGA avisaram os demais jogadores que estavam na disputa, incluindo Lowry. Uma confusão e tanto para todos os interessados, incluindo Johnson, porque não se podia ter certeza se ele iria ser penalizado ou não.

Repercussão – Rory McIlroy, que não passou o corte e assistia à final pela tevê, foi o primeiro a se manifestar no Twitter. “Isso é ridículo… Sem penalidade para DJ. Deixe o cara jogar sem esse problema na cabeça. Hora amadora da USGA”, criticou. “Isso não está certo para qualquer um em que o campo de golfe. Se fosse comigo eu não iria bater outra tacada até esta farsa ser rectificada”.

Jordan Spieth reforçou: “Deixe ver se entendi .. O DJ não fez a bola se mover. Foi dada a decisão de que ele não fazer com que ele se mexesse. Agora vocês dizem que ele pode ser punido? Agora? Isso é uma piada?”

Rickie Fowler garantiu que concordava com McIlroy e Spieth. “Vocês estão certos, meninos! O fato de a USGA achar que DJ causou o movimento da bola é completamente ridículo, risível!”.

Tiger Woods também não perdoou a USGA. “Grande golfe de DJ a semana toda, um final forte para sobreviver a essa farsa de regras. Feliz Dia dos Pais para DJ e todos vocês”.

Luke Donald também escreveu: “Vocês estão vendo quanto esses putts estão caindo, USGA? A velocidade do green e a inclinação fizeram a bola se mover”, twitou. Não dá para penalizar DJ. Usem o senso comum, USGA. Os greens estão com 14 de velocidade e a inclinação parecia o Monte Everest”, exagerou.

Ernie Els concorda. “O tratamento da USGA para o DJ é absolutamente chocante. Não tem jeito de ele ter feito a bola se mover”. “Esses são os caras que escrevem nossas Regras? #assustador”, opinou Keegan Bradley.

Graeme McDowell também não perdoou. “A USGA está criando um incrível cenário anticlímax aqui, justamente no que deveria ser um incrível e dramático final”.

Jack Nicklaus, presidente honorário do US Open, sem conteve e foi mais delicado. “Eu disse (a DJ) que o que ele conseguiu fazer com a dúvida (da penalidade) na cabeça foi muito bom”.

O major “roubado” de 2010 – Johnson também passou por outro problema de Regaras no buraco 10, quando deu um gancho de drive e foi parar o rough da esquerda, atrás de uma torre de televisão, definida como “obstrução imóvel temporária”, o que lhe dava o direito de dropar sem penalidade, do ponto de alívio mais próximo. Acontece que esse ponto estava no rough mais baixo da raia do 11, de onde DJ jogou por sobre a torre de tevê, de qualquer maneira.

johnson na banca 18 pga champ 2010

Onde está DJ? Para o PGA of America, essa faixa de areia tomada por dezenas de pessoas era uma banca…

A referência feita por Nicklaus, impressionado como DJ conseguiu jogar sem saber se seria penalizado ou não, remete a uma das maiores injustiças que já se fez num campo de golfe, no PGA Championship de 2010 (veja link para a reportagem de 2010, abaixo), quando ele foi penalizado em duas tacadas por encostar o taco na areia, no buraco final, e com isso ficou fora do playoff entre Martin Kaymer e Bubba Watson.

O PGA of America, que organiza o torneio, havia declarado todas as partes com areia no campo como bancas, mas a “banca” onde DJ caiu estava tomada por dezenas de torcedores e o juiz que o acompanhava não fez um gesto sequer para tirar todo aquele povo da “banca”.

Atenção: eram dezenas de torcedores dentro da tal “banca” (veja foto abaixo, feita de fora da banca, é claro), e não de “fotógrafos atrapalhando DJ dentro da banca”, com a ESPN erroneamente desinformou os que ouviam a transmissão em português.

Recorde – DJ agora, além de vencer seu primeiro major, completou dez títulos do PGA Tour, sendo que venceu ao menos um torneio por ano desde 2008, com exceção de 2014. Ele vinha de um quarto lugar no Masters, e de um quarto lugar e de um vice-campeonato nos dois US Open anteriores. DJ tem agora 12 Top 10s em majors, incluindo um título e dois vices, desde 2009, sendo cinco Top 7s nos últimos seis majors.

Dustin Johnson venceu com 276 (67-69-71-69) tacadas, quatro abaixo, para ganhar US$ 1,8 milhão. Jim Furyk (71-68-74-66), o irlandês Shane Lowry (68-70-65-76) e Scott Piercy (68-70-72-69) empataram em segundo, com 279 (-1). A seguir terminaram o espanhol Sergio García (68-70-72-70), e o sul-africano Branden Grace (73-70-66-71), com 280, o par do campo, seguidos por Kevin Na (75-68-69-69), com uma acima. O australiano número 1 do mundo Jason Day (76-69-66-71), Jason Dufner (73-71-68-70), Zach Johnson (71-69-71-71) e Daniel Summerhays (74-65-69-74) completaram os Top 10, com duas acima.

 

 

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Turismo

    WCGC Brasil 2019 tem nova seletiva aberta a todos os golfistas, dia 27 de abril, no Terras de São José

  • Golfe 2016

    Jogos do Rio 2016: seis medalhas para seis países diferentes coroam o sucesso do golfe olímpico


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados