Após título do PGA Championship, Morikawa terá chance de ser nº 1 mundo na próxima semana

11/08/2020

Ascenção meteórica do jovem nikkei confirma previsão do relatório Golf's 2020 Vision

Morikawa: vitória em Boston pode fazer dele o novo número 1 do mundo. Reprodução/vídeo

por | Ricardo Fonseca

Em 2012, em um exaustivo trabalho sobre o impacto da volta do golfe aos Jogos Olímpicos, o HSBC, um dos maiores patrocinadores do golfe mundial, produziu em parceria com a agência “The Futures Company”, um longo e sério estudo intitulado “Golf’s 2020 Vision”, no qual, em uma lista de 12 conclusões, afirmava: “O próximo Tiger Woods … vai ser um jovem jogador asiático” (ao lado). O que poderia parecer apenas um exercício de futurologia para 2020, começou a se confirmar no último domingo, 9 de agosto, com a vitória de Collin Morikawa, de 23 anos, no PGA Championship, um dos quatro majors do golfe mundial.

   Conclusões do relatório 2020

Embora seja filho de um japonês, Morikawa é americano, nascido em Los Angeles, na Califórnia, em 6 de fevereiro de 1997 (tem 23 anos). Em apenas 14 meses de profissionalismo, Morikawa já é o número 5 do ranking mundial de golfe (WAGR) desta semana, só não tendo chegado ao quarto lugar porque Dustin Johnson embocou um birdie no buraco final no TPC Harding Park e empatar em segundo no PGA Championship e ficar centésimos de pontos à frente no ranking desta semana.

Número 1 – Não houvesse o divisor mínimo de 40 competições para calcular a média de pontos do OWGR, Morikawa, que jogou apenas 29 torneios na carreira até agora, já seria o número 1 do mundo. Ele não joga esta semana no Wyndham Championship, último torneio da temporada regular de 2019/2020, mas terá sua primeira chance de ser número 1 do mundo na próxima semana, no Northern Trust, que abre os playoffs da FedEx Cup, no TPC Boston.

Com cerca de 80 pontos em disputa, caso Morikawa vença em Boston ele somará cerca de 2 pontos na média, passando dos atuais 7,51 pontos para 9,51. Jon Rahm, que reassumiu o ponto de número 1 esta semana, tem 8,78 pontos de média. Ou seja, Morikawa terá a primeira oportunidade real de ser número 1 do mundo, embora isso dependa dos pontos que Rahm e os que vêm a seguir no ranking – Justin Thomas (8,77), Rory McIlroy (8,16) e Dustin Johnson (7,75) – consigam em Boston.

Asiáticos – Morikawa não foi o único jogador de origem asiática a brilhar no PGA Championship deste ano. No segundo dia, Haotong Li, de 25 anos, tornar-se o primeiro chinês da história a liderar qualquer rodada de qualquer major. Com Haotong Li, que chegou ao 100º lugar do mundo esta semana, já são oito os nascidos na Ásia entre os Top 100 do mundo, com destaque para o japonês Hideki Matsuyama, 26º da lista, e para o coreano Sungjae Im, o 27º.

Matsuyama entrou para os Top 10 do WAGR em 2016, quando jogava no Tour Japonês, e chegou a ser número 2 do mundo depois de terminar em quinto lugar no PGA Championship de 2017. Com Matsuyama, ter um número 1 do mundo asiático quase aconteceu bem antes do previsto no “Golf’s 2020 Vision”. Sungjae Im, campeão do Honda Classic deste ano, chegou a 20º do mundo na volta do PGA Tour após a interrupção por causa da pandemia de Convid-19.

Majors – O único asiático campeão de major até hoje é o coreano Yang Yong-eun, vencedor do PGA Championship de 2009, numa surpreendente final onde superou Tiger Woods por três tacadas. Assim como já acontece com o golfe feminino, era apenas uma questão de tempo o golfe masculino ver os jogadores asiáticos crescer e dividir igualmente o espaço com europeus e americanos.

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Turismo

    Você só tem até esta 2ª feira, 3 de junho, para se inscrever no Sul-Americano Sênior

  • Golfe 2016

    PGA Tour: Entenda tudo o que está em jogo para Tiger esta semana, no Memorial


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados