Brasileiro Juvenil: O paulista Thomas Choi vence o gaúcho Andrey Xavier em virada histórica

27/07/2018

Lauren conquista seu quinto título sub 18. Gui Grinberg e Meilin Hoshino vencem no pré-juvenil

 Lauren Grinberg e Thomas Choi: campeões brasileiros juvenis de 2018. Veja, abaixo, as imagens de todos os campeões. Aguarde álbum completo. Fotos: Thais Pastor/F2 Comunicação

por: Ricardo Fonseca

Uma virada história de Thomas Choi, do São Paulo GC, que começou o dia perdendo por seis tacadas, mas ainda venceu por duas, marcou a rodada final do 29º Campeonato Brasileiro Amador Juvenil e Pré-Juvenil de Golfe, encerrado nesta sexta-feira, 27 de julho, no Terras de São José Golfe Clube, em Itu. Com esse título, a Federação Paulista de Golfe também conquistou um feito histórico, com seus atletas vencendo todas as sete categorias – quatro masculinas e três femininas – em disputa, além de levar, de virada, o título da Copa Juventude, por equipes, entre federações. O torneio valeu para o ranking mundial amador de golfe (WAGR) e para os rankings nacional e da Federação Paulista de Golfe.

No feminino, a paulista Laren Grinberg, hoje jogando pela Barry University, de Miami, conquistou de ponta a ponta seu terceiro título de campeã brasileira juvenil, depois de ter vencido em 2014 e 2016. Esse foi o quinto título sub 18 de Lauren, ex-atleta do Lago Azul, que foi ainda bicampeã brasileira pré-juvenil, em 2014 e 2015. A festa da família foi ainda maior porque Guilherme Grinberg conquistou de ponta a ponta o bicampeonato brasileiro pré-juvenil, com os dois irmãos subindo ao pódio juntos pela primeira vez na história do torneio. O título feminino pré-juvenil ficou para Meilin Hoshino, do São Paulo, de apenas 13 anos, a revelação do torneio.

Virada – Andrey, que havia feito as duas únicas voltas na casa das 60 tacadas de todo o torneio, sentiu a pressão no começo da rodada final devolvendo duas tacadas com bogeys nos buracos 2 e 5. Ele se recuperou com dois birdies seguidos, mas Choi fez birdies no 7 e no 9, para diminuir a diferença de seis para apenas quatro tacadas. Logo a seguir, Choi recuperou mais duas tacadas com birdies no 10 e no 12 (ambos fizeram bogey no 11) dando nova emoção ao jogo.

No buraco 14, um par 4 com um temido green ilha, Andrey jogou a segunda tacada na água e não escapou de um duplo bogey. Mesmo fazendo bogey no 14, Choi estava agora apenas uma tacada atrás do líder. No 15, Andrey errou o green e deu dois putts para fazer bogey e deixar o jogo empatado pela primeira vez na semana – ambos com três abaixo no total. Choi teve que salvar um grande par no 17, onde errou o green, para levar o jogo para o buraco final empatado em primeiro.

Vitória – No 18, de par 5, foi a vez de Choi sentir a pressão. Ele bateu o drive para o meio das árvores à esquerda, e de lá errou novamente pela esquerda, com sua bola parando no caminho dos carts. Após um drop sem penalidade, ele entrou no green com a terceira. Andrey, então, cometeu o erro fatal. Com um drive longo, no meio da raia, ele mandou a bola para fora de campo à esquerda e ainda deixou a quarta na banca da entrada do green, de onde, nervoso, saiu mal e deu dois putts para fazer um duplo bogey-7. Choi precisou apenas encostar a bola no buraco e confirmar o par para comemorar um título que perseguia havia vários anos.

“Depois do que o Andrey jogou nos dois primeiros dias, nem eu mesmo acreditava na virada”, diz Choi, que elogiou muito o adversário. “Na segunda metade do campo eu mudei de tática, passei a atacar mais e deu certo” comenta o campeão, que ainda tem mais um ano de juvenil. “Meu jogo melhorou, minha cabeça também, mas ainda tenho muito trabalho pela frente se quiser pensar no bicampeonato”.

Destaques – Choi venceu com 213 (73-70-70) tacadas, três abaixo do par, contra 215 (69-68-78) de Andrey, vice-campeão com uma abaixo. Daniel Celestino, do Graciosa, que se despediu da categoria e já viaja para os EUA, onde irá jogar no golfe universitário (NCAA), terminou em terceiro, com 216 (72-73-71) tacadas, o par do campo, para ainda levar o troféu de terceiro lugar na categoria juvenil, graças a uma volta onde fez cinco birdies, dois deles nos três buracos finais.

Os irmãos Matheus e Lucas Park, do Paradise, terminaram logo a seguir. Matheus, que também fez cinco birdies, três deles seguidos, do 8 ao 10, igualou a melhor volta da rodada e ficou em quarto, com 217 (73-74-70). Lucas, que chegou a estar com -4, perto dos líderes, e foi o recordista do dia, com seis birdies, tropeçou no final, sobretudo no 18, onde jogou duas balas na água, para fazer um triplo bogey-8 que o tirou do pódio.

Pré-juvenil – Depois de jogar os dois primeiros dias emparceirado com os meninos de 14 e 15 anos e abrir grande vantagem, Gui Grinberg jogou a rodada decisiva no terceiro grupo final, com os golfistas indo a campo pela soma geral de resultados, o que ele diz preferir, por puxar mais seu jogo. E mesmo fazendo seu pior resultado da semana, Gui conquistou com folga o bicampeonato pré-juvenil, com 231 (74-74-81) tacadas, contra 243 (84-80-79), de Stefano Thrane, do Clube de Campo, o vice-campeão. Rafael Benadiba, do São Fernando, completou o pódio, com 244 (79-80-85).

A categoria foi marcada ainda por um feito inusitado: Pedro Henrique dos Santos, do Alphaville, e Luiz Felipe Bosseto, do Paradise, que jogaram juntos, fizeram hole-in-one e eagle em buracos seguidos. Pedro, o “Tiger”, jogando de vermelho e preto, fez o primeiro ace em sete anos de golfe, batendo ferro 7 de 183 jardas, no buraco 4. Luiz Felipe, usou um ferro 9, com três quartos de swing, de 130 jardas, para embocar de segunda no 5.

Marcos Park que jogava ao lado dos dois também fez história: a trava de seu carrinho de mão soltou e sua taqueira foi parar dentro do rio do buraco 10, com tacos, celular, binóculo eletrônico e documentos dentro. Ele não teve outra alternativa a não ser mergulhar na água e resgatar o equipamento.

Idades – Entre os mais jovens, que jogam de um set de tees mais curto, Pedro Pelicioni, do Ipê, de Ribeirão Preto fez dois birdies nos três buracos finais para ser campeão brasileiro de 12 e 13 anos, de ponta a ponta, com 235 (81-81-73) tacadas. Matheus Moretini, do Curitibano, que começou o torneio empatado em primeiro, foi o vice, com 259 (81-87-91), seguido por João Pedro Bossetto, do Paradise, com 261 (90-86-85).

E na até 11 anos, Eduardo Nonaka, do Arujá, venceu com 275 (94-87-94) tacadas, seguido por Yoonje Choi, do Terras de São José, vice-campeão com 286 (96-96-94). Em terceiro terminou Pedro Salioni, do São Fernando, com 289 (98-96-95).

Feminino – A vitória de Lauren Grinberg, de ponta a ponta, marcou também a despedida da jogadora da categoria juvenil. Para ela, despedir-se com vitória teve um sabor especial por ter conseguido isso no mesmo torneio que seu irmão. Lauren começou a rodada final vencendo por quatro tacadas, viu a vantagem cair para apenas duas, mas reagiu para vencer por cinco, com 227 (75-76-76).

Laura Caetano, de Brasília que defendia o título, foi a vice-campeã, com 232 (77-78-77), seguida por Fernanda Lacaz, do São Fernando, que fez sua melhor volta da semana para terminar em terceiro, com 247 (84-82-78). Na pré-juvenil, Meilin Hoshino, do São Paulo, que saiu no pelotão ao lado de Lauren e Laura, não jogou tão bem na volta final, mas levou o título com 248 (79-81-88) tacadas, contra 263 (91-83-89) de Maria Emília Gomes, do Itanhangá, que defendia o título. Maria Julia Ribeiro, do Costão, ficou em terceiro, com 296 (80-94-101).

Entre as meninas de até 13 anos, a campeã brasileira foi Marina Nonaka, do Arujá, com 284 (98-96-90) tacadas. Isabela Santos Franceschi, do Alphaville, foi a vice-campeã, com 332 (106-110-102), e Beatriz Pinheiro, Clube Curitibano, a terceira colocada, com 345 (129-123-103).

Equipes – Na Taça Juventude, entre trincas indicadas por cada federação, formadas por dois meninos e uma menina, o time da Federação Paulista de Golfe, formado por Lucas, Matheus e Ana Sung foi campeão de virada, com 435 tacadas. A Federação Rio-Grandense de Golfe, com Andrey, Brenda Pigatto e Gabriel Velasco, ficou em segundo, com 438, seguida pela Federação Paranaense e Catarinense de Golfe, com 454. A Federação de Golfe do Rio de Janeiro saiu da disputa depois que Beatriz Junqueira, do Itanhangá, vice-campeã brasileira pré-juvenil de 2017, foi obrigada a abandonar no primeiro dia, com uma lesão no joelho.

Euclides Gusi, presidente da Confederação Brasileira de Golfe; Ademir Mazon, vice-presidente da Federação Paulista de Golfe; Ari Jorge Ribeiro, da Kia, a patrocinadora principal; Stella Bhiar, capitã do Terras de São José; e Roberto Gomez, diretor técnico da CBG, entregaram os prêmios.

Patrocinadores – O 29º Campeonato Brasileiro Amador Pré-Juvenil e Juvenil de Golfe teve patrocínio Master da Kia, patrocínios da Wool Line e BSH Law e apoio da Brassuco. O hotel oficial foi o Novotel Golf & Resort Itu. A realização foi da Confederação Brasileira de Golfe, em parceria com a Federação Paulista de Golfe, Terras de São José Golfe Clube, o Ranking Mundial Amador de Golfe (WAGR) e R&A.

Resultados finais

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Turismo

    Golfe e Música em Trancoso: reserve já e não perca os mais concorridos torneios do ano

  • Golfe 2016

    Jogos do Rio 2016: seis medalhas para seis países diferentes coroam o sucesso do golfe olímpico


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados