Golfe e americanos respondem a Donald Trump: You are fired!

08/07/2015

Grand Slam sai do campo do milionário. ESPN faz o mesmo com o ESPY, Mais reações

trump bandeira

Grand Slam sai do campo do milionário. ESPN faz o mesmo com o ESPY, Mais reações


 

 
Trump: reações contrárias a seus ataques e em defesa do mexicanos chegam ao golfe

Em algum momento Donald Trump achou que bater nos imigrantes mexicanos, acusando-os de levar para os EUA crimes e drogas, iria lhe render frutos em sua pré-candidatura pelos Republicanos para a presidência do país. Em vez disso ele descobriu que os mexicanos além de serem importantes formadores de opinião na terra do Tio Sam também tem muitos amigos e que xenófobos como ele acabam pagando caro por expor suas opiniões racistas em público.

A primeira a reagir foi a rede Televisa, vizinha de seu Doral, que tem grande audiência de imigrantes mexicanos e cancelou a transmissão do Miss America, evento do qual Trump é um dos donos. O milionário reagiu com mais agressões dizendo que os mexicanos roubavam os empregos dos americanos, abriu um processo contra a Televisa, proibiu os funcionários da rede de se hospedar ou jogar golfe no Doral e mandou selar uma passagem entre as duas propriedades.

Golfe reage – No dia seguinte, PGA Tour, LPGA Tour, USGA e PGA of America emitiram um comunicado conjunto desautorizando Trump em falar em nome delas em seus ataques xenófobos. Um dia antes, o milionário teve a ousadia de dizer num programa ao vivo na ESPN que as entidades do golfe o apoiavam na questão mexicana, pois sabiam que ele estava certo. As quatro entidades tem eventos em campos de Trump, incluindo o Cadillac Championship, da série mundial. Trump se preparava para organizar majors em suas propriedades.

A NBCUniversal que organizava o Miss Universo, em sociedade com Trump, também decidiu romper contrato com o milionário trapalhão. A NBC anunciou que estava rompendo seu contrato com Trump, que nesse caso decidiu não processar a empresa, apesar de acusá-la de violar os termos do contrato entre ambos. Ele tenta que a emissora volte atrás e ainda ameaça processo.

ESPN – No dia seguinte foi a vez da ESPN ir mais longe e retirar do Trump National Golf Club a disputa de seu ESPY Celebrity Golf Classic que vai ser jogado na semana que vem, dia 14 de julho, terça-feira, levando a competição para o Pelican Hill Golf Club também na área de Los Angeles. A ESPN explicou que o evento é feito em benefício ao Stuart Scott Memorial Cancer Research Fund, programa que leva o nome de um dos mais famosos âncoras do SportsCenter e atende minorias, incluindo hispânicos e negros. “Nossa decisão reflete nossa profunda admiração por nosso ex-colega ícone no apoio à inclusão de todos os fãs do esporte e a defesa de nossos principais valores, que são diversidade e inclusão”, disse a ESPN em comunicado

Mas o golpe mais duro em Trump – cujas implicações podem ser muito mais amplas – foi a decisão do PGA of America de tirar o 2015 PGA Grand Slam of Golf, dias 20 e 21 de outubro, do Trump National, em Los Angeles. O evento reúne anualmente os quatro campeões do Grand Slam (ou seus reservas), os majors, que são organizados pelo Augusta National (Masters), USGA (US Open), British Open (R&A) e PGA Championship (PGA of America).

Majors em perigo – Em nota, o PGA of American disse que se reuniu com Trump e “as partes decidiram mutualmente que para o melhor interesse de ambas seria melhor não realizar o evento”. O PGA os America também avisou que está em examinando opções para seu anual PGA Junior League Golf Championship. A entidade também tem dois majors programados para propriedades de Trump: o Senior PGA de 2007, no Trump National de Potomac Falls, e o PGA Championship de 2022, no Trump National Bedminster, em New Jersey.

Os problemas de Trump podem ir além. O PGA Tour, além do Cadillac Championship, no Trump National Doral, organiza o Puerto Rico Open, no Trump International Golf Club, ambos em março. E o Barclays Championship de 2017, o primeiro torneio dos playoffs da FedEx Cup, está programado para o Trump Golf Links Ferry Point, em Bronx, Nova York. O LPGA tem ainda em julho o Women`s British Open, no Trump Turnberry, na Escócia, que é organizado pela Ladies Golf Union. A USGA tem o US Women`s Open de 2017 previsto para o Trump National Bedminster.

Apoio – O PGA Tour disse que em vista da situação entendia e apoiava a decisão do PGA of America de tirar o Grand Slam of Golf do Trump National Golf Club de Los Angeles e que sobre os demais torneios que tem previstos para os campos do milionário “continua a monitorar a situação”. Ou seja, subiram no telhado.

A NBCUniversal decidiu tirar Trump do reality show “The Celebrity Apprentice”. A rede Macy`s, que tem a “maior loja do mundo” ocupando um quarteirão inteiro de Novas York, mandou retirar todos os produtos Trump de suas lojas. A Serta, fabricante de colchões, avisou que iria parar de vender a sua linha de produtos com a marca Trump. E a NASCAR cancelou o banquete de final de ano e entrega de prêmios da temporada que faria no Trump National Doral.

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Terravista, vista aera dos buracos das falesias 650

    Turismo

    Golfe e Música em Trancoso: reserve já e não perca os mais concorridos torneios do ano

  • podio feminino

    Golfe 2016

    Jogos do Rio 2016: seis medalhas para seis países diferentes coroam o sucesso do golfe olímpico


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados