Groovegate: USGA responde a Mickelson

06/02/2010


Diretor técnico não gostou de ver número 2 do mundo dizer que a entidade ia matar o golfe


Phil MIckelson, número 2 do ranking mundial de golfe
   Phil Mickelson: falou o que quis e ouviu o que não quis

Dick Rugge, diretor técnico da USGA (United States Golf Association), que divide com o R&A o comando do golfe mundial, não gostou de ver Phil Mickelson, o número 2 do golfe mundial, acusar a entidade de “matar o jogo de golfe”, como argumento de sua defesa por ter usado tacos Ping Eye 2, cujas ranhuras (grooves) da face tem desenho proibido pela regras em vigor, mas são permitidas por uma decisão judicial de 20 anos, que andava esquecida.

“A USGA existe para proteger o golfe e não para matá-lo”, disse Rugge em entrevista para Garry Smits, do Florida Times-Union. “A USGA trabalha muito para melhorar o jogo de golfe e quem nos acusa de matar o esporte nem mereceria resposta”, diz o dirigente. “Mas o Mickelson tem direito a dar sua opinião”.

Irritação – Mickelson ficou particularmente irritado com Rugge porque a Callaway submeteu alguns modelos de wedges com grooves de acordo com as novas regras, que não foram aprovados pela USGA. “Tem muito poder sobre as regras do golfe nas mãos de apenas um homem”, acusou Mickelson, sem citar nomes.

Rugge respondeu. “Nosso grupo é formado por 16 pessoas, incluindo seis engenheiros com Ph.D.”, disse. “A cada ano recebemos para análise cerca de 2.500 tacos, dos quais uns 80% são aprovados e os 20% restantes ainda passam por um processo de apelação”, explica. “Já no Comitê Executivo somos15 pessoas envolvidas”, continua. “Podemos não agradar a todos, mas fazemos o melhor”.

Regras – Rugge explicou que as novas regras sobre os grooves, que limitam seu volume e obrigam que eles tenham bordas arredondadas, foi tomada em conjunto com o R&A após uma longa e detalhada análise. Os ferros com grooves de volume maior e bordas afiadas tinham tornado muito fácil jogar da grama alta.

Os jogadores mais habilidosos não apenas conseguiam tirar a bola com facilidade, como ainda controlar distância e efeito (spin). Com isso, a precisão dos drives deixou de ser importante e a maioria dos campos de golfe do mundo, depois de aumentar seu percurso o máximo possível, não tinha mais como parar os grandes (porém imprecisos) batedores.

Rotação – Agora, com os novos grooves, os batedores tem que pensar duas vezes antes de se enfiar na grama alta. A não ser, é claro, que usem um Ping Eye 2 de 20 anos, que apesar de não gerar a mesma rotação na bola que os tacos usados em 2009, ainda produz 20% mais spin do que os tacos com as regras atuais.

Apenas meia dúzia de jogadores, incluindo Mickelson, aproveitaram-se da decisão judicial de 20 anos atrás, tomada em outro contexto e com outros propósitos, para jogar com os polêmicos Ping Eye 2 fabricados antes de 1990. No torneio desta semana, o Northern Trust Open, o próprio Mickelson e o irlandês Padraig Harrington desistiram de usar os wedges Ping Eye 2, que só apareceram na bolsa de Fred Couples.

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Turismo

    Você só tem até esta 2ª feira, 3 de junho, para se inscrever no Sul-Americano Sênior

  • Golfe 2016

    PGA Tour: Entenda tudo o que está em jogo para Tiger esta semana, no Memorial


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados