PGA Tour: DeChambeau, maior batedor do circuito, zomba do design de Donald Ross

01/07/2020

Favorito para vencer em Detroit esta semana promete passar as bancas de voo. TV mostra

por | Ricardo Fonseca

Bryson DeChambeau entra em campo no Rocket Mortgage Classic, nesta quinta-feira, 2 de julho, como o principal favorito ao título, a despeito da forte concorrência que inclui, entre outros, Rickie Fowler, Patrick Reed, Webb Simpson, Hideki Matsuyama, Tyrrell Hatton, Tony Finau, Bubba Watson e Jason Day. Depois de jogar 46 abaixo nos três torneios deste recomeço do PGA Tour na Era da Covid-19, DeChambeau quer mais do que seu sétimo Top 10 consecutivo: que voltar a vencer e sobretudo provar que não vai morder a língua por ter zombado de Donald Ross, o design do campo do Detroit Golf Club.

Maior batedor do circuito da atualidade, sobretudo depois de ganhar 15 kg às custas da ingestão de 3.500 calorias por dia, DeChambeau aposta que seus drives de 320 jardas em média são o suficiente para passar por cima das muitas bancas projetadas por Ross para dificultar o percurso. Em sua entrevista coletiva para a imprensa antes do torneio, DeChambeau desdenhou do mestre do design.

Banca, que banca? – “Eu acho que existem muitas bancas que estão por volta das 290 (jardas), então espero ser capaz tirar todas de jogo “, disse DeChambeau. “Desculpe, Sr. Ross – mas é o que é”, completou o jogador que na semana passada bateu um drive de 428 jardas, e precisou bater do fundo do driving range do Harbour Town, que ficou pequeno para ele. “Não é nada pessoal, Sr. Ross, mas os perigos que estão a ‘apenas’ 290 jardas de distância nem estão mais no meu radar”.

Bem, bater longe é uma coisa, tirar proveito disso, outra. DeChambeau tem apenas 61,28% de precisão nos drives, o que não o coloca nem entre os 100 primeiros dessa estatística, liderada por Jim Furyk, que bate curto, com precisão de 77,78%. Mas é o segundo em tacadas ganhas do tee; o nono em greens acertados; e o terceiro em média de tacadas. Nada mal para quem usa ferros e wedges com todas as varas do mesmo tamanho (37,5 polegadas, ou 95,3 cm) uma de suas excentricidades, além de ser falastrão.

E os títulos? – Aos 26 anos, DeChambeau já venceu cinco vezes no PGA Tour, uma em 2017, seu ano de estreia no PGA Tour, e quatro em 2018, mas nenhuma depois disso. Já são 20 meses sem títulos (17 descontado o recesso da pandemia). Hoje, ele é o 10º do ranking mundial, onde já chegou a 5º depois de vencer o Dubai Desert Classic, do Tour Europeu, em janeiro de 2019. DeChambeau ainda não tem majors (seu melhor foi um 15º no US Open de 2017), mas tem um vice na série mundial (Dell Championship de 2018).

O torneio vai ser transmitido das 16 horas às 19 horas, de quinta a domingo. Quem assistir no aplicativo Golf.TV terá opções de um canal com os Buracos em Destaque, no final de semana, além dos Grupos em Destaque, nos dois primeiros dias, reunindo Bryson DeChambeau, Patrick Reed e Hideki Matsuyama; Bubba Watson, Jason Day e Brendon Todd; Rickie Fowler, Nate Lashley e Webb Simpson; e Brandt Snedeker, Tyrrell Hatton e Sungjae Im. São dois grupos pela manhã e dois à tarde, a partir das 8h35 (horário oficial do Brasil).

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Turismo

    Você só tem até esta 2ª feira, 3 de junho, para se inscrever no Sul-Americano Sênior

  • Golfe 2016

    PGA Tour: Entenda tudo o que está em jogo para Tiger esta semana, no Memorial


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados