The Clubhouse Golf chega para revolucionar conceito de golfe indoor no Brasil

26/08/2016

Aconchegante, sofisticada e tecnológica, casa no coração dos Jardins oferece mais do que o esporte

 

Acima, os simuladores do The Clubhouse; abaixo, o empresário Mário Romancini, o profissional Tamas Janovitz e as demais intalações da casa. Fotos: Ricardo Fonseca (personagens) e Julia Ribeiro (instalações)

por Ricardo Fonseca

Os golfistas de São Paulo ganharam uma segunda sede de golfe, além daquelas que têm em seus clubes, com a chegada do The Clubhouse Golf, um conceito revolucionário de golfe indoor que acaba de ser inaugurado no coração dos Jardins, em São Paulo, na Rua Barão de Capanema, 559, bem ao lado do restaurante D.O.M., do chef Alex Atala. Aconchegante, sofisticado e com alta tecnologia – quatro salas com o melhor simulador de golfe do mundo – The Clubhouse vem fazendo grande sucesso entre os que já tiveram a oportunidade de conhecê-lo, não só pela oportunidade dejogar golfe de segunda a sábado, das 8 horas às 22 horas, nos melhores campos do mundo, como Bethpage Black, Firestone, e Torrey Pines, mas por tudo o mais que oferece.

internasO ambiente montado pelo esportista e empresário Mário Romancini, ex-piloto de Fórmula Indy e outras categorias, que também é apaixonado por golfe, dispõe de um bar e restaurante acolhedor, que serve desde café da manhã a refeições e petiscos, além de contar com um bar com as melhores opções de bebidas, incluindo dezenas de rótulos de vinhos, servidos em taças ou garrafas, do parceiro Wine House, que já adotou pelo sistema de naming right, uma das salas de simulador. Há ainda um pequeno pro-shop com equipamentos de golfe de primeira necessidade, como luvas, para aqueles que decidem ir jogar de última hora.

Preços – Os simuladores são alugados por hora, custando R$ 120 para uma pessoa e R$ 50 por pessoa adicional, até o máximo de quatro por baia. Assim um grupo de quatro amigos pode jogar por R$ 270 a hora – R$ 67,5 por pessoa, a cada hora, sendo que a média de tempo para se jogar 18 buracos, com folga, é de uma hora. As aulas de golfe ficam a cargo do profissional Tamas Janovitz, que tem recebido desde a procura de jogadores de alto desempenho interessados em corrigir detalhes do swing com a ajuda do simulador, a iniciantes, que não conheciam nenhum golfista e não tinham acesso aos clubes de golfe tradicional.

“Em um mês de funcionamento já estamos reunindo um grupo fiel de clientes, sobretudo na Happy Hour, quando a casa recebe golfistas de vários clubes para bater bola, jogar no simulador, e bater papo enquanto desfrutam de nossas bebidas e petiscos”, conta Mário Romancini. O empresário acaba de firmar um acordo com o departamento de golfe do Club Athletico Paulistano, vizinho do empreendimento, que não dispõe de campo de golfe próprio e já adotou The Clubhouse como sua sede. Pedro da Costa Lima, o Pepê, ex-campeão brasileiro, é outro que treina lá constantemente.

Público – Mas há quem vá bate bola cedo, antes de ir para o trabalho, aproveitando para tomar um sofisticado café da manhã, a aqueles que vão jogar na hora do almoço ou levam clientes de negócios ou amigos para curtir o local. “Outro publico alvo é o corporativo, já que estamos preparados para a recepção de grupos para convenções e treinamento, e até para campeonatos”, conta Romancini. “Com quatro jogadores por sala, e revezando dois grupos em cada uma delas, podemos colocar para jogar 32 golfistas ao mesmo tempo, nos mesmos campos e com as mesmas condições climáticas, como vento (uma das opções de ajuste oferecidas nos simuladores)”.

Dos quatro simuladores Full Swing Golf – eleito pela revista Golf Digest como o melhor do mundo em 2016 – que a The Clubhouse dispõe, um deles é equipado especialmente para aulas de golfe e analise de swing, com o software Swing Catalyst e o balance plate, um tapete sensível que mostra em tempo real o gráfico de sua distribuição de peso sobre os pés durante todo o swing. A tecnologia inclui ainda câmaras que gravam seu swing de dois ângulos diferentes.

Tecnologia – Além disso, todos os simuladores dispõem do sistema Dual Tracking, um diferencial que usa duas tecnologias de ponta para mostrar com grande rapidez e precisão o vôo de sua bola e todos os gráficos e estatísticas de seu movimento, com câmaras de alta velocidade e sensores de infravermelho. Isso vale também para os putts, o que permite que você conclua o buraco com incrível precisão e realismo. Com esses simuladores, é possível jogar 18 buracos em menos de uma hora.

O investimento de Mário Romancini não foi pequeno. Além do aluguel do ponto de luxo nos Jardins, que reformou com requinte, os simuladores que ele comprou custam, nos EUA, a partir de US$ 30 mil, o modelo mais simples, e US$ 46 mil, o mais sofisticado. Por isso, ele fez um acordo de exclusividade no Brasil com o fabricante do simulador e agora planeja oferecer franquias do negócio.

O simulador dos pros – Há ainda quem compre os simuladores para instalar em casa, como já fizeram muitos dos melhores profissionais do mundo como Jordan Spieth, Tiger Woods, Padraig Harrington, Bill Haas, Hunter Mahan e Patrick Reed, entre outros. Eles treinam para valer nos simuladores Full Swing Golf, por ser o que há de melhor hoje no mercado. Só jogando num deles ou para ver como realmente fazem a diferença.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Turismo

    Golfe e Música em Trancoso: reserve já e não perca os mais concorridos torneios do ano

  • Golfe 2016

    Jogos do Rio 2016: seis medalhas para seis países diferentes coroam o sucesso do golfe olímpico


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados