Web.com Tour: Fernando Mechereffe tenta reação, a partir desta quinta-feira, na Colômbia

07/02/2018

Longa ausência cobra preço de brasileiro, que perdeu dois cortes consecutivos

 

Mechereffe em seu último torneio do Brasil: esperança de representar o Brasil nos Jogos de Tóquio 2020

por: Ricardo Fonseca

Depois de uma reestreia promissora no Web.com Tour, nas Bahamas, aonde terminou em 21º lugar, com duas voltas abaixo de 70 tacadas, os três anos de ausência no circuito mundial e falta de ritmo de competição vêm cobrando seu preço do profissional gaúcho Fernando Mechereffe, que perdeu o corte nos dois torneios seguintes: novamente na Bahamas, por oito tacadas, depois de uma péssima estreia, e no Panamá, por quatro tacadas, quando na tentativa de jogar no final de semana fez três bogeys nos quatro buracos finais.

Mechereffe volta a campo de quinta-feira a domingo, 8 a 11 de fevereiro, para o quarto torneio do ano, Club Colombia Championship, que vai ser jogado no campo Fundadores, do Country Club de Bogotá, um  par 71 de 7.237 jardas, com vários objetivos:

1) passar o corte;
2) terminar entre os Top 17 que pontuam para o ranking mundial;
3) recuperar a confiança em seu jogo, para acumular bons resultados que tirem de sua frente a preocupação de manter o cartão para 2019;
4) colocar-se em posição de terminar o ano entre os 25 primeiros que ganham cartões para o PGA Tour, ou ao menos entre os 75 que lutam por outros 25 cartões no final da temporada.

Tóquio 2020 – Todos torneios são importantes, mas o momento crucial para Mechereffe serão os torneios do segundo semestre, quando começa a corrida olímpica pelos pontos que poderão levá-lo aos Jogos de Tóquio 2020. Todos os torneios do circuito mundial nos dois anos que antecedem o mês anterior aos Jogos Olímpicos terão seus pontos computados para o ranking mundial que definirá os 60 jogadores que irão a Tóquio. Para um brasileiro, será preciso estar perto da 300ª colocação do ranking mundial para ter a vaga assegurada. E Mechereffe tem o talento, a experiência e a coragem necessários para chegar lá.

Mechereffe será uns dos 14 latinoamericanos entre os 144 jogadores de 22 países que disputam a bolsa de US$ 700 mil na Colômbia, sendo US$ 126 mil para o campeão. Entre eles, destaca-se o colombiano Juan Sebastián Muñoz, de 25 anos, que venceu o torneio em 2016 (o americano Ethan Tracy, campeão em 2017, não joga).  Destaque ainda para Rafa Campos, de Porto Rico, que vem de um terceiro lugar na abertura da temporada e de um vice-campeonato no Panamá.

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Turismo

    Golfe e Música em Trancoso: reserve já e não perca os mais concorridos torneios do ano

  • Golfe 2016

    Jogos do Rio 2016: seis medalhas para seis países diferentes coroam o sucesso do golfe olímpico


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados