Aconteceu novamente: E quando as Regras do Golfe se contradizem? O que fazer?

19/04/2021

Si Woo Kim foi penalizado em uma tacada por não bater uma bola em movimento

Kuchar e Kim observam a bola se movendo lentamente até embocar. Reprodução TV

por | Ricardo Fonseca

No golfe, você não pode bater uma bola em movimento sem ser penalizado, certo? Errado! Há duas situações em que isso é permitido: 1) se você impactar a bola enquanto ela cai de cima do tee, quando você já iniciou o downswing; 2) quando você vai jogar uma bola que está flutuando sobre a água. Nesses dois casos, valeu! Não há penalidade!

Agora, descobriu-se neste domingo, há uma terceira exceção à regra de que é proibido bater numa bola em movimento. Segundo polêmica decisão do árbitro Stephen Cox, do PGA Tour, você deve embocar a bola que está quase caindo no buraco mesmo que ela esteja em movimento, caso tenham se passado mais de 10 segundos de espera. Afinal, se a bola cair depois dos 10 segundos previstos na regra 13,3, considera-se que o jogar embocou a bola com a tacada anterior, mas acrescenta-se uma de penalidade.

E pur si muove! – Tudo aconteceu no buraco 2 da volta final do RBC Heritage, neste domingo, 18 de abril. Si Woo Kim usou o putt de fora do green e viu sua bola quase cair no buraco, antes de voltar frações de centímetro. Após os lamentos regulamentares de praxe pelo birdie que não aconteceu, Kim caminhou para bola e foi olhar se ela ainda cairia. Acontece que ele viu que a bola estava oscilando – o que para as Regras do Golfe corresponde a se mover – e ele esperou que ela parasse.

Assista ao vídeo do incidente:

 

Matt Kuchar, parceiro de jogo de Kim, e caddies ficaram de olho na bola e atestaram que ele se movia. Kim ainda olhava para a bola oscilante quando ela caiu no buraco, quase um minuto depois de ele ter chegado nela. Todos no grupo comemoraram, mas logo chegou o árbitro para avisar que haveria a tacada extra, de penalidade. Kuchar protestou, garantiu que a bola de Kim nunca ficou em repouso. Debalde! A penalidade foi dada e o birdie virou par. Veja que ninguém contestou que a bola estava se movendo. E isto visto a olho nu. Mas para as Regras do Golfe a bola que se movia estava parada. Dane-se a Física e Galileu.

Regras – Ok, todos conhecem – ou deviam conhecer – a regra dos 10 segundos – mas supunha-se que ela se referia a bolas paradas, não em movimento. Mas o árbitro, ressalte-se, não está errado. A Regra 13.3 é clara e diz que se passados os 10 segundos, a bola cair no buraco, “se considera que a bola estava em repouso (mesmo que todos estejam vendo a bola se mover – e isso é a novidade)… e se considera que o jogador terminou o buraco com sua última tacada, porém ele recebe uma tacada de penalidade”.

Ah, e há uma Decisão (13.3b) que diz que se a bola pendendo sobre a borda do buraco for levantada ou deslocada antes do final do tempo de espera (os 10 segundos), “o jogador que levantou ou deslocou a bola recebe penalidade geral (duas tacadas). A bola tem que ser recolocada na borda do buraco”.

Reações – O argentino Emiliano Grillo, vice-campeão do RBC Heritage, foi um dos primeiros a protestar contra a penalidade dada a Kim: “Absoluto BS” (BS de Bull Shit, o que nem é considerado mais palavrão na língua inglesa), escreveu ele no Instagram sobre a decisão. Respondia ao post de Cameron Tringale, que escreveu: “Isso faz sentido para mais alguém?”. Charley Hoffman fez coro: “Outra regra horrível da @usga!”. David Lingmerth, sueco que joga no PGA Tour, concorda: “Regra terrível, se (a bola) não estivesse se movendo, eles não teriam esperado. Ninguém teria. @usga @therandagolf”.

A reação negativa não se limitou aos profissionais. O nadador Michael Phelps, o jogador de futebol americano Brice Butler e milhares de outros nas redes sociais meteram sua colher na discussão. Só na tarde desse domingo, o Instagram do PGA Tour teve mais de 4 mil comentários e 100 mil curtidas no assunto. No Twitter foram mais de 300 comentários, 600 retuítes e 3.700 curtidas apenas até o começo da tarde. Como os profissionais, a maioria dos fãs acreditava que a regra estava errada, embora houvesse quem a defendesse.

O site golf.com reproduziu alguns posts mais significativos:

“Alguns desses caras passam mais tempo tentando ler um putt do que esperando a bola cair. Decisão ruim.” – Brett Norton, no Facebook do golf.com

“A decisão foi realmente Lixo. O que ele deveria fazer? Bater uma bola em movimento e pagar penalidade? Também como esperar os 10 segundos se a bola nunca parou? Se e somente quando a bola parar completamente, o relógio de 10 segundos deveria começar. O próprio Kuchar disse que viu continuar a se mover. Que chamada HORRÍVEL da PGA e da USGA.” – Dave Tufts, no Facebook do golf.com

“O golfe já é difícil. Por que temos que pensar em como tornar isso mais complicado”- Mike Guevara, no Facebook do golf.com

“Essa regra nunca fez sentido para mim. A bola ainda está se movendo? Deixe-a continuar se movendo até parar! Se parar, toque! Não é como se isso acontecesse com frequência suficiente para desacelerar significativamente o jogo. Esta tacada deve contar”- Dylan Dethier, redator sênior do golfe.com, no Twitter

“Essa é uma daquelas regras que impede as pessoas de querer aprender golfe. Qualquer pessoa que joga golfe regularmente sabe que esta é uma regra BS” – @ curry23_azbeast, no Instagram do PGA Tour

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Turismo

    Aproveite o acordo entre a Pousada Travel Inn Trancoso e o Terravista Golf Course

  • Golfe 2016

    Jogos de Tóquio: Nelly Korda leva susto, mas vence por uma e dá aos EUA seu segundo ouro no golfe


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados