Nova geração do golfe brasileiro mostra seu valor nos sul-americanos Sub-18, no Equador

25/10/2021

Meilin e Valentina ganharam duas medalhas no Juvenil e Holtz foi Top 5 na pré-juvenil

A nova geração do golfe brasileiro mostrou seu valor no 22º Campeonato Sul-Americano Pré-juvenil e Juvenil, disputado no Arrayanes Country Club, em Quito, no Equador, de 20 a 23 de outubro. As juvenis voltaram com uma medalha de prata por equipes e uma de bronze no individual, além dos meninos conseguirem um Top 5 no pré-juvenil, numa competição onde participar já é uma vitória, pois significa estar na elite Sub-18 do continente.

O melhor resultado feminino foi no juvenil (16 a 18 anos), com o segundo lugar de Meilin Hoshino (SP) e Valentina Bosselmann (RJ) nas equipes femininas (duplas), com 13 acima, três à frente do time da casa, terceiro colocado com 13 acima. A Colômbia venceu com impressionantes 11 abaixo. No individual, Meilin ficou em terceiro, com uma acima (72-70-69-74), perdendo apenas para as colombianas: Maria Marín venceu com seis abaixo (70-69-69-70) e Ana Murcia foi a vice no par do campo (73-74-66-71).

No masculino juvenil, Gabriel Gallego (PR) e Rafael Ziccardi (SP) não foram bem, terminando na 16ª e 19ª colocação, respectivamente, no individual, e em nono lugar por equipes. Houve ainda uma competição de equipes mistas, onde Meilin e Gallego terminaram em quarto lugar, e Valentina e Ziccardi em 18º.

Pré-Juvenis – Na pré-juvenil (14 e 15 anos), Gabriel Holtz (SP) foi o destaque, terminando em quinto lugar no individual, com cinco acima (72-76-72-69), a uma tacada do quarto colocado e a duas da medalha de bronze. O domínio foi dos paraguaios, com Franco Fernandez em grande recuperação sendo campeão no par do campo (78-67-71-68), e Erich Fortlage sendo vice com uma acima (68-72-73-72). O colombiano Jorge Paez foi bronze com +3 (76-69-71-71) e o local Manuel Corral o quarto com + 4 (75-75-69-69). Por equipes, Pedro Miyata (SP) e Holtz terminaram em sexto.

No feminino pré-juvenil, Martina Collares (RS) e Isadora Fernal (SP) não conseguiram se destacar, terminando em 13º e 19º respectivamente, no individual, e em décimo por equipes. Nas duplas mistas, o Brasil foi 11º com Isadora e Holtz e 16º com Martina e Miyata.

Pandemia – Por causa da pandemia, o Sul-Americano Sub-18 não foi jogado em 2020. Este ano, todos os dez países membros compareceram, sem que tenha havido um único caso de Covid-19 registrado. Foram seguidos os rígidos protocolos sanitários do governo do Equador e da Federação Equatoriana de Golfe. Todos os 80 golfistas fizeram exames de Covid na chegada, dia 18, e na sexta-feira, dia 22. Os delegados e acompanhantes também realizaram exames.

A delegada pré-juvenil foi Rossana Marini, vice-presidente da CBGolfe, e o delegado juvenil, Erik Andersson, coach nacional da Confederação Brasileira de Golfe (CBGolfe). A delegação brasileira viajou com apoio da CBGolfe, através de projetos com recursos da Lei das Loterias.

Resultados Juvenis

Resultados Pré-Juvenis

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Turismo

    Aproveite o acordo entre a Pousada Travel Inn Trancoso e o Terravista Golf Course

  • Golfe 2016

    Jogos de Tóquio: Nelly Korda leva susto, mas vence por uma e dá aos EUA seu segundo ouro no golfe


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados