Regras do Golfe: Esta é inédita! Parnevick punido em duas tacadas por não fazer um mulligan

15/10/2019

Exceção 2 da Regra 11.1.b é tão incomum que o árbitro que a aplicou nunca tinha visto acontecer

por | Ricardo Fonseca

Por essa nem o Jesper Parnevik nem o árbitro que teve que resolver o incidente esperavam. Uma Regra do Golfe pouco conhecida e raramente posta em prática custou ao profissional sueco duas tacadas de penalidade na rodada final do SAS Championship, do Champions Tour, o circuito sênior do PGA Tour, encerrado neste domingo. Como Parnevik já estava nas últimas colocações, perdeu, com o incidente, apenas cinco posições e pouco dinheiro. Mas vale o alerta, pois pode acontecer com você.

Parnevik, que começou a volta final pelo tee do 10, estava no buraco 3, de par 3, seu 12º do dia, quando empurrou a bola para fazer bogey. Acontece que a bola tocou no buraco, deu um 180º, e voltou, batendo no pé do jogador. Parnevik não pensou duas vezes e empurrou a bola de novo para o buraco, para fazer um duplo bogey. Pela Regra 11.1.b, Exceção 2, o putt original não valeu e o putt com que ele empurrou a bola para o buraco contou como tacada e ele ainda foi penalizado em duas tacadas, para fazer um 6, um triplo bogey. Entenda.

Explicação – A Regra 11.1 diz o que fazer se “sua bola em movimento acidentalmente atinge uma pessoa ou influência externa” (isso inclui o jogador, seus parceiros, adversário e caddies e o equipamento de todos) e que, de forma geral, a) “não há penalidade” e b) “a bola deve ser jogada como se encontra”. Mas há duas exceções ao item “b”. E a segunda delas – Regra 11.1.b, Exceção 2 – diz que isso não vale (jogar de onde a bola se encontra) “se sua bola jogada do green atinge acidentalmente qualquer pessoa, animal ou obstrução móvel (inclusive outra bola em movimento) no green”. E a expressão “qualquer pessoa”, inclui o próprio jogador.

Assim, Parnevik deveria ter anulado seu putt original (aquele que rodou o buraco e bateu no seu pé) – na prática um Mulligan – e jogado novamente de onde a bola estava (ou o mais perto possível se não der para precisar o local original). Como não fez isso, o putt seguinte foi feito de um local errado o que lhe custou a “penalidade geral”, ou seja, duas tacadas. A tacada original continuou não valendo, mas a que empurrou a bola para o buraco sim e mais as duas de penalidade. Foram duas de penalidade, mas uma na prática, pois o que ele achava que seria um duplo bogey virou “apenas” um triplo.

Surpresa – Brian Claar, o árbitro que foi chamado na hora do incidente, contou que quando se comunicou com a USGA pedindo ajuda, lhe perguntaram, perplexos: “Mas isso aconteceu realmente?”. E completaram que nunca tinham ouvido falar disse ter acontecido antes em competição.

Aproveite para reler a Regra 11, em especial a Exceção do item 1a (sem penalidade para qualquer jogador), que sempre gera muitas dúvidas: o que acontece quando uma bola jogada do green atinge outra bola no green?. Regra 11.1a  – Exceção: Bola Jogada no green em stroke-play: Se sua bola em movimento atinge outra bola em repouso no green e ambas bolas estavam no green antes da sua tacada, você recebe a penalidade geral (duas tacadas de penalidade).

Ou seja, se ao bater um putt do green sua bola atinge outra bola em repouso no green, quem toma penalidade é você! Peça sempre para o adversário marcar e levantar a bola. Lembre-se que em vez do pé do Jesper ao dar um “180º” sua bola poderia ser outra bola e te penalizar.

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Turismo

    Você só tem até esta 2ª feira, 3 de junho, para se inscrever no Sul-Americano Sênior

  • Golfe 2016

    Jogos do Rio 2016: seis medalhas para seis países diferentes coroam o sucesso do golfe olímpico


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados