Ryder Cup: no papel, os EUA têm a equipe mais forte; no retrospecto, a Europa domina

29/09/2016

Tudo o que você precisa saber sobre o evento mais emocionante do golfe mundial, que começa nesta 6ª feira

ryder-cup-2016-bola-close
Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page

 

 

E você? De que lado vai ficar? EUA ou Europa?

por Ricardo Fonseca

No momento em que você entra no site oficial da Ryder Cup já é obrigado a escolher um lado. Ou clica para ver as notícias como torcedor dos EUA, ou para saber tudo da ótica dos europeus. O evento mais emocionante do golfe mundial, onde ninguém disputa prêmios em dinheiro ou pontos no ranking mundial, e joga apenas para defender as cores de sua bandeira, a cada dois anos, é assim mesmo, não dá para ficar em cima do muro. Tem que tomar posição. EUA ou Europa, vermelho ou azul.

  Conheça os times, com idades e posição no ranking mundial (RM)

  (texto continua baixo)

ryder-2016-time-tabela

Jogar em casa (a 41ª edição da Ryder Cup, que tem sedes alternadas, será disputada de sexta a domingo, 30 de setembro a 2 de outubro, no Hazeltine National Golf Club em Chaska, Minnesota, um subúrbio de Minneapolis) – é a esperança americana de reverter o domínio da Europa, que venceu as três últimas edições, seis das últimas sete, e 11 das últimas 15. Isso significa que das últimas nove vezes que jogou em casa os EUA venceram apenas três, um terço delas. A Europa, por sua vez, só perdeu em casa uma vez nos últimos 31 anos, em 1993, por 15 a 13, no campo do The Belfry, na Inglaterra. E houve um empate no período, quatro anos antes, também no The Belfry, mas a Europa reteve o troféu por ser a campeã da edição anterior.

Freguês – Se pelo retrospecto os EUA são “fregueses” e não podem ser considerados favoritos, pelo ranking mundial é outra coisa: o time do capitão Davis Love III tem quatro dos Top 10 do mundo, sete dos Top 20 e seu jogar pior ranqueado é Ryan Moore 31º do mundo. A Europa tem três Top 10 e apenas cinco jogadores abaixo do 30º lugar do ranking mundial, sendo que cinco, quase metade do time de 12, estão acima do ranking do pior americano (32º a 50º).

Acontece que os jogos são todos na modalidade Match Play, que, sabe-se muito bem, é outro jogo, se comparado ao Stroke Play. Além disso, nos dois primeiros dias os jogos são de duplas, metade “melhor bola” (best ball) e metade “tacadas alternadas” (foursomes), onde o entrosamento da Europa tem sido muito superior e feito toda a diferença. Só do domingo os jogos são individuais, 12 confrontos, onde o emparceiramento, feito voto a voto pelos capitães é um jogo de xadrez decisivo.

Local Player? – Conhecer o campo não é privilégio dos EUA, uma vez que o Hazeltine já sediou os US Open de 1991 e 2002 e o PGA Championship de 2009, além do US Amateur de 2006. Dos 24 jogadores em campo, 13 – mais da metade – já competiram lá, sendo Phil Mickelson, por três vezes, e os europeus Sergio Garcia, Justin Rose, Lee Westwood e o americano Dustin Johnson, duas vezes cada.

No PGA Championship de 2009, no Hazeltine, os europeus que jogam a Ryder Cup deste ano se deram melhor, com quatro deles terminando entre os seis primeiros: Lee Westwood (3º), Rory McIlroy (3º), Martin Kaymer (6º) e Henrik Stenson (6º). Do time dos EUA, Dustin Johnson e Zach Johnson empataram em 10º.  E o campo vai estar tão longo este ano, quando esteve em 2009, com 7.628 jardas (contra 7.674 há sete anos).

Experiência – No quesito experiência, os EUA saem em vantagem com Phil Mickelson jogando sua 11ª Ryder Cup, em todas elas por mérito próprio, classificado por pontos, sem depender das escolhas do capitão (quatro). Phil iguala assim o recorde do inglês Sir Nick Faldo, que também jogou 11 vezes na Ryder Cup. Lee Westwood vai jogar pela décima vez.

Contra Phil, está sua língua ferina: assim que o time perdeu para a Europa em 2014, em Gleneagles, na Escócia, ele meteu a boca no capitão Tom Watson. Agora, antes mesmo de o jogo começar, resolveu revirar o passado e culpou o capitão Hal Sutton pela derrota acachapante do time americano (18,5 a 9,5 para a Europa) em 2004, jogando em casam no Oakland Hills. Isso porque ele foi escalado para jogar duplas com Tiger Woods, no primeiro dia, e perderam os dois jogos, incluindo o foursomes, onde teve que jogar as tacadas alternadas com a bola de Woods (Nike), com a qual ele não estava acostumado.

Polêmica – Ao atacar Sutton, Phil esquece ainda que no outro jogo, best ball, Colin Montgomerie e Padraig Harrington estavam imbatíveis. Montgomerie fez cinco birdies nos primeiros seis buracos e Harrington embocou duas de fora no final para vencer por 2 & 1, com a Europa jogando seis abaixo em 17 buracos. E que ele, Phil, fez apenas um dos cinco birdies do time americano.

O troco veio ainda na semana passada, quando Dustin Johnson, ainda sem saber que perderia os Playoffs da Fedex Cup e os US$ 10 milhões de bônus do título para Rory McIlroy, mandou um recado para Davis Love dizendo que faria dupla com qualquer um na Ryder Cup, menos com Mickelson. Depois, não voltou atrás, mas tentou amenizar: “Adora o Phil, somos grandes amigos, mas nos divertimos mais jogando um contra o outro, não com parceiros”. Muy amigo.

Majors – Se contarmos pelos majors em campo, dá empate, cinco campeões em cada time, mas os EUA levam vantagem com 11 títulos, contra nove da Europa. No time dos EUA ganharam majors Phil Mickelson (5), Zach Johnson (2), Jordan Spieth (2), Dustin Johnson (1) e Jimmy Walker (1). Na Europa, Rory McIlroy (4), Martin Kaymer (2), Justin Rose (1), Henrik Stenson (1) e Danny Willett (1).

A Europa terá meio time – seis jogadores – estreando em Ryder Cups, mas os que vão a campo, somados, jogaram 28 vezes no torneio, conta 26 dos EUA que tem apenas dois estreantes – Brooks Koepka e Ryan Moore. Na Europa os estreantes são Danny Willett, Chris Wood, Rafael Cabrera-Bello, Andy Sullivan, Matthew Fitzpatrick e Thomas Pieters.

Capitães e vices – Capitão por capitão também é um jogo igual. Davis Love e Darren Clarke jogaram quatro Ryder Cups cada, e nos mesmos anos (1997, 1999, 2002 e 2004). Eles se enfrentaram quatro vezes, com Clarke vencendo dois e Love um, com um empate no único jogo individual entre eles em 2004. E eles não estarão sozinhos: Love terá cinco vice-capitães: Tiger Woods, Bubba Watson, Steve Stricker, Jim Furyk e Tom Lehman. Clarke outros cinco: Thomas Bjorn, Padraig Harrington, Paul Lawrie, Ian Poulter e Sam Torrance.

Horários dos jogos e TV – Na sexta e sábado, teremos quatro duplas foursomes pela manhã e quatro best balls à tarde. Os jogos da manhã terão saída – pelo horário oficial do Brasil, duas horas a mais do que no local dos jogos – das 9h35 às 10h20, e os da tarde das 14h30 às 15h15. No domingo, os jogos individuais terão a primeira saída às 13h034 e a última às 15h05 (intervalos de 11 minutos). Tudo deve terminar antes da19 horas (no Brasil).

A Ryder Cup vai passar apenas no Golf Channel Latinoamérica (A ESPN não tem os direitos no Brasil).

6ª feira – das 9h30 às 20 horas

sábado – das 9h30 às 20 horas

domingo – das 13 horas às 19 horas

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • comandatuba-aerea-divulgacao

    Turismo

    Golf Travel comemora prêmio Top 10 com pacotes a preços incríveis para Comandatuba

  • podio feminino

    Golfe 2016

    Jogos do Rio 2016: seis medalhas para seis países diferentes coroam o sucesso do golfe olímpico


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados