Adilson da Silva fica mais perto de Tóquio com Top 15 em torneio do Tour Europeu e Asiático

06/05/2019

Pelo segundo torneio seguido, brasileiro pontua no ranking mundial e chega ao 272º lugar

por | Ricardo Fonseca

Depois de estrear fora da linha de corte, o brasileiro Adilson da Silva reagiu para chegar às rodadas finais e ainda terminar em 14º lugar no Volvo China Open, torneio do Tour Europeu e do Tour Asiático, com US$ 3 milhões em prêmios, encerrado neste domingo, que reuniu 41 dos 200 profissionais mais bem colocados no ranking mundial de golfe (OWGR), no Genzon Golf Club. Adilson somou 276 (72-69-65-70) tacadas, 12 abaixo do par, para pontuar para o ranking mundial e olímpico pela décima vez desde que a corrida para Tóquio 2020 começou um julho de 2017.

Adilson abriu a volta final com três birdies seguidos e depois copiou o cartão até o final, com exceção do buraco 14, onde fez seu único bogey do dia. Sua melhor volta foi no sábado, quando jogou 65, com seis birdies e apenas um bogey. Com esse resultado Adilson ganhou US$ 41,1 mil de prêmio, e já é o 20º colocado do ranking asiático, onde joga desde 2011 e, desde então, foi o primeiro brasileiro a vencer um torneio do circuito (Taiwan Masters de 2018), foi três vezes vice-campeão, e terminou 13 vezes entre os 10 primeiros, ao menos uma vez por ano, nos últimos oito anos, com exceção de 2013.

Tóquio 2020 – Outro resultado importante desse torneio é que Adilson pontuou pela segunda vez consecutiva para o ranking mundial e para a corrida olímpica de dois anos de duração, que começou em julho de 2018 e termina em junho de 2020. Desde então, Adilson já pontuou em dez torneios, incluindo sua vitória em Taiwan, dia 27 de setembro passado, três meses depois do nascimento de suas gêmeas – Sienna e Amélia -, e um vice-campeonato no Sun Wild Coast Sun Challenge, do circuito africano, do qual também é membro.

Adilson, que era o número 283 do mundo, subiu para o posto de 272º, resultado que melhora ainda mais sua presença na lista dos 60 jogadores que vão garantindo vaga para os Jogos de Tóquio 2020. O brasileiro é o 56º colocado e pode subir uma posição.

Irão se classificar para jogar em Tóquio os 15 primeiros do ranking mundial, com limite de quatro por país, e os necessários para completar os 60 jogadores, com limite de dois por país para os demais. Alexandre Rocha, 680º do ranking, e Rafael Becker, 890º, tentam ser o segundo brasileiro que jogará em Tóquio.

Vitória – O campeão no desempate foi o finlandês Mikko Korhonen, com 268 (68-69-65-66) tacadas, 20 abaixo do par. Ele levou US$ 485,6 mil de prêmio e subiu d0 121º para o 84º lugar do ranking mundial de golfe. O francês Benjamin Hebert (67-68-64-69) ficou em segundo, seguido pelo espanhol Jorge Campillo, com 19 abaixo (65-69-68-67), que subiu para o 59º lugar do ranking mundial. Li Haotong, ídolo local, ficou em quarto com 16 abaixo (67-73-66-66) e também subiu, para 35º do mundo.

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Turismo

    WCGC Brasil 2019 tem nova seletiva aberta a todos os golfistas, dia 27 de abril, no Terras de São José

  • Golfe 2016

    Jogos do Rio 2016: seis medalhas para seis países diferentes coroam o sucesso do golfe olímpico


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados