Rafa Becker estreia na seletiva final tentando colocar o Brasil no Web.com Tour de 2019

06/12/2018

Profissional paulista enfrenta 134 jogadores em busca de uma das 40 vagas para o circuito

por: Ricardo Fonseca

Desde que se transformou na única porta de acesso ao PGA Tour, com as seletivas que antes levavam ao circuito máximo passando a classificar apenas para o circuito de acesso, a Q-School para o Web.com Tour cresceu de importância e de dificuldade. E após quatro meses onde foram jogados os pré-qualifyings e duas fases de seletiva, a terceira e última fase começa com 135 jogadores, incluindo Rafa Becker, a última esperança do Brasil de ter um profissional jogando no Web.com Tour de 2019.

São apenas 40 vagas em jogo, sendo que o campeão da seletiva que começa nesta quinta-feira nos campo The Cattail and Devil’s Claw, do Whirlwind GC, perto de Phoenix, no Arizona, terá um cartão integral com direito a jogar toda a temporada do Web.com Tour em 2019. Os classificados do segundo ao décimo lugar e empatados, ganham direito de jogar os 12 primeiros torneios da temporada, antes de estarem sujeitos às reclassificações feitas com base no dinheiro ganho até então. E quem ficar do 11º ao 40º lugar e empatados, tem direito a oito torneios de isenção, antes de entrar nos re-rankings. Os demais ganham cartões condicionais, com base na classificação final, que pouco valem.

Becker – Apenas dois jogadores – Nick Heinen e o norueguês Kristoffer Ventura – sobreviveram do pré-qualifying até a seletiva final. Becker, que joga com patrocínio da Copag e da Sligo, entrou direto na segunda fase e passou com tranquilidade, terminando em oitavo lugar, com 277 (67-69-69-72) tacadas, 11 abaixo, na chave do TPC Craig Ranch, de 6 a 9 de novembro, em McKinney, no Texas, estado onde o brasileiro mora, enfrentando 73 jogadores por 19 vagas.

O Brasil já tem tradição no circuito onde Alexandre Rocha jogou em 2013, 2014, 2016 e 2017 (em 2011 e 2012 jogou n PGA Tour e, em 2015, no PGA Tour LA); Fernando Mechereffe de 2012 a 2014 e em 2018; e Lucas Lee em 2015, classificando-se para o PGA Tour de 2016. Ou seja, desde 2012 o Brasil nunca ficou fora do Web.com Tour, e desde o começo da década esteve em um dos dois maiores circuitos do sistema PGA Tour. Becker, agora, tem chance de aumentar esse recorde.

Destaques – Além dos profissionais em ascensão, neste seletiva final jogarão golfistas que perderam seu cartões tanto no Web.com Tour como no PGA Tour, incluindo muitas com vitórias no circuito principal. Entre os finalistas estão os golfistas que terminaram do 2º ao 9º lugar nos rankings do PGA Tour LA, Mackenzie Tour Canada e PGA China. O campeão de cada um desses circuitos ganhou cartão integral para o Web.com Tour em 2019, e não precisam jogar, mas os classificados do 2º ao 5º lugar nesses circuitos satélite, que receberam cartões condicionais, ganharam o direito de jogar a seletiva final para ter chances de melhorar seu status.

Entre os classificados para a final está o mexicano Armando Favela, que jogou no PGA Tour LA de 2011 a 2016 e no Web.com Tour in 2017 e 2018, onde perdeu o cartão. Outros destaques são o australiano Brett Coletta, medalhista do U.S. Amateur de 2015; o mexicano Rodolfo Cazaubon; Steve LeBrun, ex-PGA Tour; Max Greyserman, Top 10 do US Open de Shinnecock Hills; Luke Guthrie, que já jogou 108 torneios do PGA Tour; e Andy Zhang, que se classificou para o US Open de 2012 aos 14 anos.

Mais famosos – Outros destaques que foram à final são Braden Thornberry, campeão da NCAA em 2017; Doug Ghim, melhor amador do Masters 2018; Anthony Paolucci, ex- nº 1 e principal rival de Jordan Spieth na categoria Júnior; Min Woo Lee, campeão do U.S. Junior Amateur de 2016; Scottie Scheffler, campeão do U.S. Junior Amateur de 2013; Blayne Barber, que jogou 104 torneios do PGA Tour; Spencer Levin, com 241 torneios do PGA Tour incluindo um 12º lugar no US Open de 2014.

Não conseguiram ir à final Andres Gonzales (126 torneios no PGA Tour); Chris Williams. ex-número 1 do Ranking Mundial Amador; Mark Hensby, que cumpriu um ano de suspensão no PGA Tour; Andrew Svoboda, ex-PGA Tour com três títulos do Web Tour; Jon Curran, que perdeu em dois playoffs no PGA Tour; Kyle Reifers (160 torneios do PGA Tour); Martin Flores (198 torneios do PGA Tour); o inglês Brian Davis, cinco vezes vice-campeão em 359 torneios do PGA Tour; John Merrick, ex-campeão no PGA Tour (abandonou); Bubba Dickerson, campeão do U.S. Amateur de 2001; e Brendon Todd, ouro que já venceu no PGA Tour.

Acompanhe os resultados

  • Onde Jogar

    Como chegar. Dicas de hospedagem e alimentação. Preços e serviços

  • Turismo

    Golfe e Música em Trancoso: reserve já e não perca os mais concorridos torneios do ano

  • Golfe 2016

    Jogos do Rio 2016: seis medalhas para seis países diferentes coroam o sucesso do golfe olímpico


  • Newsletter

    Golfe.esp.br - O Portal Brasileiro do Golfe

    © Copyright 2009 - 2014 Golfe.esp.br. Todos os direitos reservados